Skip to content

Obrigada!

28 de outubro de 2009

Agradecemos a todos que acompanharam e participaram do Simpósio.

A discussão continua aqui na rede. Leiam os relatos e publiquem seus comentários.

E em breve disponibilizaremos também os vídeos de todas as mesas.

Anúncios

Palestra da Rosalind Krauss

26 de outubro de 2009

O relato da palestra de Rosalind Krauss já está publicado. Leia aqui.

Transmissão ao vivo

26 de outubro de 2009

Acompanhe o Simpósio ao vivo. Veja aqui como assistir.

Acompanhe também pelo twitter @pacodasartes.

Inscrições

15 de outubro de 2009

As inscrições para o Simpósio estão encerradas.

Devido à grande procura, o Paço das Artes oferecerá exibição gratuita da palestra de Rosalind Krauss – dia 25 de outubro, domingo, das 16 às 17h30 -, em projeção no galpão subsolo do local. O presentes poderão acompanhar em tempo real a fala de uma das mais importantes teóricas da arte da atualidade, que realizará uma revisão crítica da história e do sistema da arte desde a expansão do mercado nos anos 80 até os dias de hoje.

Além disso, durante todo o evento, que acontece entre 26 e 27 de outubro, haverá transmissão via internet.

III Simpósio Internacional de Arte Contemporânea do Paço das Artes

12 de outubro de 2009

25 a 27 de outubro de 2009

Paço das Artes
Avenida da Universidade 1, Cidade Universitária, São Paulo – SP
11-3814-4832 ou pacodasartes@pacodasartes.org.br
www.pacodasartes.org.br
twitter @pacodasartes

O III Simpósio Internacional de Arte Contemporânea do Paço das Artes atenta ao fato que, nas últimas décadas, a experiência da arte migrou de um campo específico de proposições artísticas para uma prática ampliada, que opera na convergência de linguagens e em diálogo com outras esferas do conhecimento. Hoje emerge a necessidade de reelaborar o sistema da arte à luz de novas indagações: como pensar as instituições em consonância com a visão fluida que caracteriza o nosso tempo? Como as instituições poderão criar novas configurações de ação frente à crise econômica? Quais os caminhos para se compreender a arte contemporânea em um mundo em que as imagens midiáticas têm se tornado cada vez mais presentes e impactantes? É possível falar em economia criativa com referência a cultura e arte? É possível, ainda, falar em sustentabilidade? Quais as prováveis saídas para as artes e seu sistema?

A partir dos anos 1970, a experiência da arte migrou de um campo de proposições artísticas específicas para uma prática desdobrada, ampliada, que opera na convergência de linguagens e em diálogo com outras esferas do conhecimento.

Nos anos 1980, observa-se um crescimento importante do mercado de arte ao lado de recrudescimentos estéticos, como foi o caso da Transvanguarda e da revitalização da pintura, em detrimento das práticas conceituais, em uma empreitada que pode ser relacionada com as questões econômicas da era Tatcher –Reagan.

Nos anos 1990, com padrões de referência aos pedaços, a produção artística se rearticula ao mesmo tempo em que é inevitável a sua absorção pelo mercado. Observa-se uma corrida de curadores, instituições e galeristas em busca de organização para a manutenção de um sistema que se articula em função do capital. De um lado, exercita-se a conquista de novos espaços, ao mesmo tempo em que se combate a aceleração e a amnésia por meio de práticas que passam a reconsiderar possíveis utopias: outras articulações e novos espaços, aonde ganham força artistas que trabalham com arquivos, com articulações em redes, enfim, com novas formas de agenciamento no campo da arte, tais como os coletivos e os trabalhos colaborativos.

Ao quase completarmos a primeira década do século XXI transparece a urgência de repensar o sistema da arte, novas formações e configurações de espaço, sua circulação, difusão e produção em função de dois fatores: a crise econômica que hora se impõe e a força das imagens da comunicação e da mídia no mundo contemporâneo.

Estas são algumas das proposições que o III Simpósio Internacional de Arte Contemporânea do Paço das Artes pretende investigar. As três edições do simpósio, se pensadas no conjunto, podem dar ao nosso público, composto de jovens artistas, teóricos, curadores, professores e jovens críticos uma idéia do que se fez e se pensou no campo da arte contemporânea nesta quase década de virada do milênio.

Diretrizes conceituais do simpósio

Ana Tomé, Angela Santos, Daniela Bousso, Daniela Kutschat, Fernando Oliva, Marcia Ribeiro, Martin Grossmann, Nelson Brissac e Priscila Arantes

Comissão científica

Miguel Chaia, Priscila Arantes, Priscila Farias e Tadeu Chiarelli

Desenvolvimento
Angela Santos, Daniela Bousso, Fernando Oliva e Priscila Arantes

Apoio
Canal Contemporâneo, Centro Cultural da Espanha, Cultura Inglesa, Faculty of Education USP, Associação Alumini, ECA-USP, CCE-USP, TV USP, Senac

Realização
Paço das Artes, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado de São Paulo.